Investigado pela Operação Miquéias se entrega à Polícia Federal no RJ

O operador de fundos de pensão Carlos Eduardo Lemos, conhecido como 'Dudu', era considerado foragido pela PF desde quinta-feira passada

Andreza Matais, O Estado de S. Paulo

25 de setembro de 2013 | 16h43

Brasília - O operador de fundos de pensão Carlos Eduardo Lemos, conhecido como "Dudu", se entregou nesta quarta-feira, 25, à Polícia Federal no Rio de Janeiro. Ele era considerado foragido desde a quinta-feira passada, 19, quando foi deflagrada a Operação Miqueias, que apura suposto esquema de pagamento de propina a prefeitos e servidores públicos para direcionar investimentos de fundos de pensão municipais.

De acordo a PF, Dudu era sócio do doleiro Fayed Traboulsi e do ex-policial civil Marcelo Toledo na empresa Invista Investimentos Inteligentes, que oferecia os negócios aos agentes políticos, em troca de vantagens.

Relatório da operação, ao qual o jornal Estado teve acesso, indica que Dudu cometeu os crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa. Em maio deste ano, ele se apresentou como dono de R$ 465 mil apreendidos nas meias e cuecas de duas pessoas no aeroporto internacional de Brasília. Além de Dudu, a PF pediu a prisão de outras 26 pessoas por participação no esquema.

Mais conteúdo sobre:
Miqueias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.