Investigação sobre Maluf volta a virar notícia na Suíça

O jornal Tribune de Genéve, de Genebra, na Suíça, informou em sua edição de sexta-feira que um inquérito penal aberto pela Procuradoria de Genebra para investigar o ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf (PPB), pretende descobrir se foram cometidos atos de lavagem de dinheiro dentro do território suíço, envolvendo US$ 200 milhões que supostamente estariam depositados em contas das quais Maluf e familiares seriam beneficiários.De acordo com a reportagem do jornal, assinada pelo jornalista Jean-Noël Cuénod, grande parte das informações que integram um dossiê sobre a movimentação financeira de Maluf em paraísos fiscais foi levantada na Suíça. Os US$ 200 milhões teriam permanecido por 12 anos no Citibank de Genebra. Em janeiro de 1997, os ativos teriam sido transferidos para a Ilha de Jersey, paraíso fiscal no Canal da Mancha, onde estariam bloqueados e sob investigação.O jornal informa que o inquérito penal está sendo conduzido pelo juiz de instrução Vincent Fournier. E revela que o governo brasileiro ainda não respondeu a um segundo pedido de informações feito pela Procuradoria Geral de Genebra para autorizar a liberação de dados confidenciais das movimentações bancárias de Maluf na Suíça.No mês passado, o Ministério da Justiça enviou um ofício à Procuradoria de Genebra, pedindo informações sobre as supostas movimentações bancárias de Maluf naquele país. O procurador Geral de Genebra, Jean-Louis Crochet, devolveu o ofício e pediu informações mais detalhadas sobre as acusações que existem no Brasil contra Maluf. "Entrevistado hoje, Folco Galli, porta-voz do Ofício federal da Justiça, nos informou que o Brasil ainda não respondeu a esta nova demanda", afirmou o jornal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.