Investigação não atrasará projetos da Copa, diz Rebelo

A investigação sobre possível corrupção no Brasil, que tem levantado acusações contra uma companhia envolvida em projetos para a Copa do Mundo de 2014, não provocará atrasos nos preparativos para o evento, afirmou o ministro do Esporte, Aldo Rebelo. "A investigação não afetará a execução de projetos para a Copa do Mundo", disse Rebelo a jornalistas durante uma teleconferência.

DANIELLE CHAVES, Agência Estado

26 de abril de 2012 | 14h14

Na quarta-feira, o ex-diretor da Delta Cláudio Abreu e três outras pessoas ligadas à investigação foram presos. Segundo relatos, após as acusações, a Delta deixou o consórcio que reforma o estádio do Maracanã. A Delta tinha 30% de participação no projeto de R$ 884 milhões para renovar o estádio que vai receber a final do campeonato mundial de futebol de 2014.

Existe a possibilidade de o governo impedir a Delta de participar de contratos estatais caso a polícia encontre evidências de má conduta. "Se a Delta sair (do consórcio), então outras companhias substituirão a Delta, como aconteceu no caso do Maracanã", afirmou Rebelo.

Além do Maracanã, a Delta está envolvida na construção de três projetos de transporte relacionados à Copa do Mundo - um corredor de ônibus entre o aeroporto Tom Jobim, no Rio, conhecido como Galeão, e a Barra da Tijuca; um corredor de ônibus entre o aeroporto de Confins e o centro de Belo Horizonte; e uma rodovia em Fortaleza. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
DeltaRebeloCopa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.