DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

Investigação de ataque a ônibus de Lula aguarda perícia

Polícia Civil pediu urgência no laudo que apura tiros contra dois dos três ônibus da caravana do petista no Sul; expectativa é que resultado saia na próxima segunda-feira, 2

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

30 Março 2018 | 05h00

LARANJEIRAS DO SUL - A delegacia de Laranjeiras do Sul, no interior do Estado do Paraná, aguarda para o início da próxima semana a finalização da perícia nos dois ônibus atingidos por tiros enquanto integravam a caravana do ex-presidente Lula pelo Sul do País. A Polícia Civil pediu urgência no laudo que está em fase de elaboração pelos peritos da Polícia Científica paranaense. A análise que leva ao menos 30 dias para ser feita poderá estar na mão dos investigadores na próxima segunda-feira, 2.

++ Delegado confirma que ônibus de caravana de Lula foi alvejado por tiro

++ Presidenciáveis condenam ataques à caravana de Lula

O laudo é um dos elementos que será levado em conta pela investigação para entender melhor as circunstâncias dos disparos que atingiram os veículos na noite da terça-feira passada. Ele poderá fornecer informações como tipo do armamento e calibre, proximidade com a qual o disparo foi efetuado e confirmar a quantidade de perfurações, e outras informações técnicas para os policiais. Além disso, são poucas os dados que a polícia de Laranjeiras tornou públicos nos últimos dias sobre o caso.

Em frente à delegacia, a reportagem do Estado encontrou nesta quinta-feira, 29, duas viaturas do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), da Polícia Civil, que auxilia na apuração do caso. O reforço foi enviado pelo governo do Estado para a cidade de pouco mais de 32 mil habitantes. No DP, os policiais preferiram não conceder entrevista. Não foi informado quantas pessoas já foram ouvidas, nem quais as linhas mais prováveis adotadas pelas equipes de apuração. A cena do crime, uma estrada permeada por curvas e ladeada por mato alto e árvores, acrescenta dificuldade para eventuais testemunhas que tenham presenciado o momento do disparo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.