Investigação da Ágora não prejudica Primeiro Emprego, diz Berzoini

O ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, negou que as investigações pelas quais passa a organização não-governamental Ágora estejam predicando a implementação do Programa Primeiro Emprego no País. Ele argumentou que o Consórcio Brasília, programa social para a juventude,admnistrado pela Ágora na Capital Federal, "está indo de vento em popa com 2.428 jovens".Para o ministro, "a questão a ser investigada é se há irregularidade administrativa e contábil, porque a parte final, de formação e qualificação dos jovens está sendo feita da maneira adequada". Ele informou que os três funcionários do ministério designados essa semana para investigar o relacionamento da entidade com o ministério não limitarão a investigação somente ao Programa Primeiro Emprego, mas devem atingir o programa de formação profissional e a intermediação de mão-de-obra durante o governo Fernando Henrique Cardoso. "Faremos uma investigação completa sobre essa entidade em programa de cooperação com o Ministério do Trabalho", assegurou. Berzoini participou de assinatura de convênio entre o ministério e a Infraero para a contratação de 3 mil jovens pelo Programa Primeiro Emprego nos aeroportos de Cumbica, em Guarulhos, e Viracopos, em Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.