Investigação

As dez dúvidasSe havia crimes eleitorais, por que a Procuradoria não foi acionada?As informações não foram checadas na Justiça Eleitoral, portanto não foi possível distinguir doações legais de ilegais. A Procuradoria, segundo autoridades, ainda pode ser acionada ao final da operação.Ocorreram efetivamente doações ilegais?Um dos grampos sugere doação "por fora", indicando que haveria esquema de caixa 2 envolvendo a empreiteira Camargo Corrêa. Até agora, porém, a PF não conseguiu comprovar.Se houve doação ilegal, como será possível identificá-las?Um dos objetivos da PF com as blitze era encontrar um pen drive com a lista de supostos beneficiários de doações ilegais. O juiz Fausto Martin De Sanctis suprimiu partidos políticos em sua decisão?Sim, os agentes federais citaram 10 legendas (PSDB, PT, PV, PP, PSB, PPS, PTB, PMDB, DEM e PDT), mas De Sanctis suprimiu três (PT, PTB e PV). Até agora, não justificou o porquê.As prisões durante a operação foram legais?Há controvérsias. De Sanctis e o Ministério Público alegam que sim, até mesmo citando casos similares. Advogados dos acusados e Cecília Mello, desembargadora do TRF3 que mandou soltar os presos, dizem que não houve fundamentação nos pedidos para deter os investigados.Qual a justificativa para as buscas no departamento jurídico da Camargo Corrêa?De Sanctis justifica que, quando um cliente é investigado, o escritório do advogado não é inviolável. Vários juristas contestam essa versão e veem afronta à Constituição.A intermediação da Fiesp para doações de campanha é ilegal?A Lei Eleitoral sublinha que entidades de classe não podem realizar doações de campanha, mas nada impede que façam intermediação entre a Camargo Corrêa e partidos ou candidatos.Qual foi o papel das interceptações na operação?A fundamentação do juiz, tanto para levantar suspeitas quanto para pedir as prisões e ordenar as buscas, foram baseadas em transcrições de conversas grampeadas, monitoramento ambiental e trocas de e-mail.A PF conseguiu obter indícios concretos de crimes financeiros e lavagem de dinheiro, o objetivo inicial da investigação?Interceptações telefônicas que vieram a público sugerem que executivos da empreiteira mantinham contato frequente com doleiros para remessas ao exterior. O Ministério Público garante, porém, que há "fartas provas de crimes financeiros e de lavagem".Quais serão os próximos passos da operação?Com base nas apreensões efetuadas e nos depoimentos dos acusados, a PF tentará agora endossar as suspeitas de crime financeiro, lavagem de dinheiro e crime eleitoral. Nesse trabalho, podem ser tomados novos depoimentos e decretadas prisões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.