Interpol caça 55 brasileiros pelo mundo

A Interpol está tentando capturar 55 criminosos brasileiros que estão espalhados pelo mundo. Pelo menos um deles, Marcelo Bauer, que matou sua ex-namorada em Brasília e estava foragido na Dinamarca, está na relação conhecida como ?difusão vermelha?. Os que constam dessa lista têm suas capturas vistas como prioridade. A Interpol e governos estrangeiros também procuram 955 pessoas que cometeram crimes em seus países e se refugiaram no Brasil.O Ministério da Justiça não divulga a relação dos nomes dos criminosos e nem onde eles estariam hoje. Entretanto, fontes do governo admitem que a maior parte dos 55 procurados está nos Estados Unidos e Europa.Pelo menos um deles, tem paradeiro conhecido das autoridades brasileiras. É o ex-banqueiro Salvatore Cacciola, que está em Milão, na Itália. Por ter dupla nacionalidade - brasileira e italiana - ele está sendo monitorado pela Interpol, enquanto o país europeu decide se concede ou não sua extradição para o Brasil."Colocamos o caso de Bauer na difusão vermelha da Interpol, ainda não temos certeza do local onde ele está atualmente", informa a secretária nacional de Justiça, Elizabeth Susskind. O crime cometido por Bauer foi um dos que mais abalou Brasília. Ele esfaqueou a ex-namorada por várias vezes, dentro do câmpus da Universidade de Brasília (UnB). Thaís, a vítima, tinha 21 anos e não teve chance de defesa. Recentemente o rapaz esteve na cidade dinamarquesa de Arhus, onde foi encontrado depois que a polícia fez seu retrato falado, envelhecido em mais de uma década. No Brasil, a Interpol está investigando 955 pessoas que estão sendo procuradas em seus países por crimes cometidos há anos. "Todas estão com a extradição pedida e queremos prendê-las para encaminhá-las a julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF)", explica Elizabeth Sussekind.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.