UESLEI MARCELINO/ REUTERS E DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO
UESLEI MARCELINO/ REUTERS E DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

Internet reproduz 'batalha' entre Herman e Gilmar no TSE

Nas redes sociais, quem sai vencedor é o relator do processo, elogiado pelos internautas que usam a hashtag #HermanxGilmar

Elisa Clavery, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2017 | 08h18

O julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pode levar à cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, é claro, não passou batido pelos internautas. Nesta quinta-feira, 8, a hashtag #HermanxGilmar, em referência ao relator do processo e ao presidente da corte, foi parar nos assuntos mais comentados do Twitter. Se nas sessões Herman Benjamin parece ser voto vencido, com a sinalização de que quatro ministros devem votar contrários a sua relatoria, na internet o ministro virou ídolo. E venceu a "batalha" criada pelos internautas com Gilmar Mendes.

Teve gente defendendo, até, a ida de Herman para o Supremo Tribunal Federal (STF). Na composição do TSE, três ministros também fazem parte do Supremo, Gilmar Mendes, Luiz Fux e Rosa Weber.

Com os internautas saindo em defesa do relator, as críticas caíram principalmente sobre o presidente do TSE. Mas outros ministros foram alvo do "julgamento virtual": os posicionamentos de Napoleão Nunes e dos recém nomeados pelo presidente Michel Temer, Tarcísio Vieira e Admar Gonzaga, também foram criticados - principalmente, o deste último.

Desde a primeira sessão, na terça-feira, o julgamento foi marcado por um embate entre Gilmar e Herman. O relator, que tem usado um antigo posicionamento do presidente do tribunal para justificar seu voto, tem sido interrompido dezenas de vezes por Gilmar - segundo a Coluna do Estadão, só no primeiro dia foram 28 vezes -, mas já mostrou ser um adversário à altura. Em meio ao clima de tensão, os ministros também trocam elogios e, mais de uma vez, Herman citou uma "amizade de 30 anos" com Mendes.

Nesta sexta-feira, 9, os ministros retomam o julgamento que pode cassar o presidente. A expectativa, porém, é de um placar de 4 a 3 para livrar Temer da condenação - com os votos de Gilmar Mendes, Admar Gonzaga, Tarcísio Vieira e Napoleão Nunes. 

Após três dias de julgamento, Herman Benjamin apontou que vai pedir a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer ao afirmar que houve abuso de poder político e econômico durante a campanha de 2014. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.