Internautas protestam por Gabeira

Manifesto intitulado ?Movimento Pró-Democracia? se espalhou pela Web em blogs e correntes de e-mails

Alexandre Rodrigues, O Estadao de S.Paulo

30 de outubro de 2008 | 00h00

Simpatizantes do deputado Fernando Gabeira, candidato derrotado do PV à Prefeitura do Rio, estão usando a internet, instrumento estimulado por ele durante a campanha, para organizar um protesto contra o resultado da eleição. Gabeira perdeu para Eduardo Paes (PMDB) por apenas 55 mil votos, num segundo turno marcado pela campanha negativa de panfletos apócrifos e flagrantes de boca-de-urna.Logo após a apuração, no domingo, amigos criaram uma página no site de relacionamentos Orkut para discutir casos de boca-de-urna - atividade irregular - no segundo turno, que favoreciam Paes em sua maioria. Em três dias, a comunidade já contava 10 mil adeptos. Um manifesto intitulado "Movimento Pró-Democracia" se espalhou pela internet em blogs e correntes de e-mails.Panfletos virtuais convocam "indignados" para uma passeata no Centro do Rio amanhã. Vestindo preto, os jovens que tem trocado mensagens freneticamente nos últimos dias pretendem se concentrar na Cinelândia e seguir até a sede do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), para pressionar a Justiça a investigar denúncias de propaganda negativa contra Gabeira.Embora não escondam que são eleitores de Gabeira, os envolvidos definem o movimento como ''apartidário, pacífico, espontâneo e democrático". A manifestação está sendo planejada seguindo as linhas da campanha do verde, como uso intensivo da internet, material artesanal e cidade limpa. Cada grupo tem de evitar que panfletos sejam jogados no chão durante a caminhada.Os organizadores pedem que os manifestantes levem câmera para registrar tudo no YouTube. São vetadas alusões a partidos ou candidatos - até mesmo a Gabeira. Já narizes de palhaço, cornetas e "pinturas no corpo" são bem-vindos."Cogitamos entrar em contato com o Gabeira, mas percebemos que isso iria contra um dos ideais do movimento, o apartidarismo", disse Matheus Tavares, de apenas 17 anos, autor do manifesto que deu origem ao movimento. Ele conversou com o Estado pelo Messenger, ferramenta de comunicação instantânea pela internet.Embora alguns membros da comunidade defendam a anulação do pleito, Matheus afirma que não é esse o objetivo. "Não queremos ser tachados de eleitores chorões do Gabeira. Queremos que o TRE investigue os crimes. Anular as eleições, ou não, é com o TRE", argumenta.Matheus tirou o título de eleitor em janeiro, mas se diz decepcionado com a guerra suja na eleição em que estreou nas urnas. Ele ficou surpreso com a grande adesão à comunidade criada por seus amigos sem grandes pretensões, mas a considera um reflexo de que a maior parte dos jovens rejeita a política feita nos moldes tradicionais.Gabeira considerou a mobilização de jovens pela internet um dos principais legados de sua campanha. "Fico muito feliz de ter chegado aos jovens, até a crianças que ainda não votam. Isso envolve o futuro. A resposta a uma aliança diferente, com a sociedade. É uma mensagem que vai ser levada para os políticos em geral."O coordenador da fiscalização da propaganda eleitoral, Luiz Fernando Santa Brígida, informou que foram flagrados cabos eleitorais fazendo boca-de-urna para os dois candidatos. No entanto, a maioria era ligada a Paes. Ele está finalizando um relatório que será entregue aos juízes e ao Ministério Público Eleitoral, que poderão estabelecer punições.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.