Internado, Quércia faz exames no Sírio Libanês

O candidato do PMDB ao senado, em carta enviada aos companheiros de legenda, disse que não viajará para campanha por motivos de saúde, os quais não explicitou

Elizabeth Lopes, da Agência Estado

01 de setembro de 2010 | 17h12

SÃO PAULO - O presidente estadual do PMDB, Orestes Quércia, candidato ao Senado nessas eleições, está desde terça-feira, 31, internado no Hospital Sírio Libanês para a realização de exames médicos. Em carta encaminhada nesta quarta-feira, 1, aos companheiros de legenda e da coligação Unidos por São Paulo - encabeçada no Estado pelo tucano Geraldo Alckmin - Quércia diz que por motivos de saúde, está impossibilitado de viajar em campanha pelo Estado e que agora necessita de mais tempo para exames aprofundados e tratamento médico. "Período em que naturalmente não poderei ir às ruas ou realizar viagens, minha participação só poderá ser pela TV, rádio e internet", destaca ele.

 

Na carta, o peemedebista não explicita o motivo (de saúde) que o levou a se ausentar das agendas de rua neste período da campanha. Pessoas próximas a Quércia informaram que no início do ano ele foi submetido a uma cirurgia de hérnia de disco e deveria seguir os procedimentos exigidos pelos médicos para o período de recuperação. Contudo, esse período coincidiu com o início da movimentação em torno de sua campanha ao Senado Federal. Por essa razão, o peemedebista não conseguiu levar o tratamento adiante. Nos últimos dias, quando a campanha começou a ficar com ritmo bem mais acelerado, ele sentiu a necessidade de reavaliar o estado de saúde para retomar o tratamento médico, disseram as mesmas fontes.

 

De acordo com essas fontes, apesar da pausa nas atividades de rua, o candidato está otimista com a campanha em São Paulo e ressalta a "disposição de seguir lutando, sem descanso, para reconquistar as condições físicas o mais rápido possível". Na carta aos correligionários do PMDB e aos membros dos partidos que compõem a coligação Unidos por São Paulo (PSDB, DEM, PPS, PHS, PMN e PSC), Orestes Quércia agradece a solidariedade que tem recebido de todos e reitera a lealdade do PMDB às candidaturas tucanas de Alckmin (ao governo de São Paulo), de José Serra (à Presidência da República) e de Aloysio Nunes (ao Senado).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.