Integrantes do MST acampam em terreno do Incra

Cerca de 250 militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) acamparam nesta terça-feira no pátio do edifício do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Porto Alegre. Eles exigem que o órgão cumpra a promessa que havia feito em maio, de assentar 1.080 famílias das 3.200 que estão acampadas em diversos locais do interior do Rio Grande do Sul.O superintendente regional do órgão, Waldir Dorini, recebeu uma carta de reivindicações dos manifestantes, mas informou que não há dinheiro para a compra de terra e as desapropriações estão suspensas.Os sem-terra permanecerão no local, sem impedir a entrada e saída dos funcionários, pelo menos até quinta-feira, quando terão nova reunião com Dorini.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.