Integrantes do MST acampam em terreno do Incra

Cerca de 250 militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) acamparam nesta terça-feira no pátio do edifício do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Porto Alegre. Eles exigem que o órgão cumpra a promessa que havia feito em maio, de assentar 1.080 famílias das 3.200 que estão acampadas em diversos locais do interior do Rio Grande do Sul. O superintendente regional do órgão, Waldir Dorini, recebeu uma carta de reivindicações dos manifestantes, mas informou que não há dinheiro para a compra de terra e as desapropriações estão suspensas. Os sem-terra permanecerão no local, sem impedir a entrada e saída dos funcionários, pelo menos até quinta-feira, quando terão nova reunião com Dorini.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.