Integrantes do Conselho de Ética se reúnem com procurador-geral

Revoltados com as nove absolvições no plenário da Câmara de parlamentares acusados de envolvimento no escândalo do mensalão, os sete deputados que, em protesto, pediram afastamento do Conselho de Ética se reúnem na quinta-feira com procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza. A intenção é subsidiar o trabalho do Ministério Público, que ainda não denunciou todos os parlamentares envolvidos no esquema operado pelo publicitário Marcos Valério.Nesta terça, o Conselho vota o parecer do deputado Moroni Torgan (PFL-CE) pedindo a cassação do deputado Vadão Gomes (PP-SP), acusado de receber dinheiro do valerioduto. Vadão aparece como beneficiário de dois saques, no valor total de R$ 3,7 milhões nas contas de Marcos Valério.Segundo investigações da CPI dos Correios, Vadão teria recebido o dinheiro nos dias 5 de julho e 16 de agosto de 2004, em um hotel em São Paulo. O deputado, em sua defesa, mostrou ser dono de um patrimônio que, segundo ele, prescindiria de apoio de Marcos Valério, e negou que esteve na cidade nas datas mencionadas.Vadão é o penúltimo parlamentar acusado de envolvimento com o mensalão que ainda aguarda a votação do pedido de cassação em plenário. O outro é o deputado Josias Gomes (PT-BA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.