Integrantes da equipe do delegado permanecem

Uma longa reunião na sede da Polícia Federal em São Paulo reconduziu à missão Satiagraha os delegados Carlos Eduardo Pellegrini Magro e Karina Murakami Souza. Os dois integram a equipe de Protógenes Queiroz, comandante da investigação que levou o banqueiro Daniel Dantas para a prisão.Eles haviam se afastado do caso diante da forte pressão da cúpula da instituição, que os puniu com o rótulo da insubordinação - o comando da PF alegou, inicialmente, que o grupo de Protógenes teria se recusado a fornecer detalhes da operação.Na noite de quarta-feira, depois que o presidente Lula desafiou Protógenes a vir a público para declarar os motivos que o levaram a sair do caso, seus colegas trancaram-se em uma sala com Roberto Troncon, o número 1 da Divisão de Combate ao Crime Organizado.Troncon, homem de confiança da direção-geral, veio de Brasília especialmente com a missão de apaziguar ânimos e evitar desgaste maior à PF. Primeiro, encontrou-se com Leandro Daiello Coimbra, superintendente regional da PF em São Paulo, para acertar os detalhes de como deveria ser conduzida a conversa com Pellegrini e Karina. Troncon disse aos dois que a administração não teve intenção de desmerecê-los, ao contrário, reconhece a capacidade de ambos. Ele ponderou que estava em jogo a imagem e a credibilidade que a corporação conquistou nos últimos anos, por meio de operações bem-sucedidas na caçada a empresários, autoridades e políticos acusados de corrupção.Com a paz selada e o apoio firmado expressamente pelo emissário da direção-geral, os dois delegados concordaram em reiniciar os trabalhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.