Íntegra da nota de FHC sobre a demissão dos ministros

A íntegra da nota do presidente Fernando Henrique Cardoso sobre a demissão dos ministros da Previdência, Waldeck Ornélas, e de Minas e Energia, Rodolfo Tourinho. A nota também explica a intervenção no DNER."Resolvi exonerar hoje os ministros da Previdência Social, senador Waldeck Ornélas, e de Minas e Energia, dr. Rodolfo Tourinho.Esperei, até agora, que, diante da acalorada discussão sobre o governo, provocada pelo discurso do senador Antonio Carlos Magalhães e por sucessivas declarações, os ministros tivessem tornado públicas palavras de confiança em meu governo e de apreço ao presidente da República.O silêncio de ambos demonstrou o constrangimento em que foram colocados, não por mim, mas por um estilo de política que não é o meu.Foram dois eficientes colaboradores e jamais os vi praticando atos que os desabonassem. Não os exonero, entretanto, como conseqüência de afirmações, de baixa credibilidade, do senador Antonio Carlos Magalhães, nem pelas acusações infundadas que lhes foram feitas.Não é do meu feitio, nem seria correto, exonerar alguém por ação de outrem ou acusações com motivação política, sem provas e sem que eu delas esteja convencido.Entretanto, neste momento, mais do que nunca, é preciso que as lealdades políticas sejam claras para não prejudicar a imagem e a credibilidade da ação administrativa do governo. Nas circunstâncias atuais, os ministros referidos perdem a condição de bem administrar, como até aqui o fizeram.Estou determinado, ao mesmo tempo, por sugestão da Advocacia-Geral da União, que se responsabilizou pelos procedimentos jurídicos do DNER, que o ministro dos Transportes proceda uma intervenção no DNER e que sua diretoria seja afastada até que se concluam os inquéritos em curso.Do mesmo modo, o ministro da Integração Nacional está terminando as sindicâncias sobre irregularidades na Sudam e prepara um projeto sobre as agências de fomento do Norte e Nordeste, que deverá estar concluído em março próximo.Os ministros, hoje exonerados, serão substituídos, interinamente, até que os partidos que formam a base aliada recebam e se comprometam com a realização do programa de ação governamental para essa nova fase do governo, que lhes será enviado na primeira semana útil de março.Agradecendo as manifestações de solidariedade que recebi de todos os partidos que me apóiam, espero vê-los confirmando sua lealdade e interesse em colaborar nesta nova etapa político-administrativa, formando parte da equipe que se renova, para prosseguirmos nas tarefas em benefício do desenvolvimento do País e de seu povo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.