AFP PHOTO / Miguel SCHINCARIOL
AFP PHOTO / Miguel SCHINCARIOL

Instituto cria conteúdo interativo de 'mitos e verdades' sobre Lula

Ao acessar a página da web, o internauta é convidado a conhecer 'boatos e verdades' sobre o ex-presidente

ELIZABETH LOPES, O Estado de S. Paulo

15 Abril 2015 | 16h13

O Instituto Lula divulgou na tarde desta quarta-feira, 15, mesmo dia em que foi preso o tesoureiro do partido, João Vaccari Neto, na 12ª fase da Operação Lava Jato, um conteúdo interativo sobre os ''mitos e verdades'' em torno do líder petista. Ao acessar a página principal do instituto, é convidado a conhecer "boatos e verdades" sobre o ex-presidente sob o argumento é de que "Lula é vítima de boatos e mentiras há muitos e muitos anos, desde que passou a representar uma série ameaça ao País aos grupos que controlaram o País por décadas a fio".

Segundo o Instituto, o intuito é "saber a verdade e ajudar a divulgar as informações sobre as informações falsas que circulam na internet sobre Lula ser um bilionário, sobre a saúde dele, sobre o ex-presidente ter sido aposentado por invalidez, além de mentiras sobre empresas, fazendas e aviões do seu filho."

No site, há uma lista de ''seis mitos'' sobre o ex-presidente. "Lula saiu na capa da Forbes e é um dos homens mais ricos do Brasil", diz o item número um, com a seguinte explicação: "Uma falsa capa da Forbes, revista norte-americana de economia e negócios, circula há alguns anos pela internet. Ela mostra Lula como principal personagem do ranking dos homens e mulheres mais ricos do mundo, elaborado todos os anos pela revista. Para começar, trata-se de uma montagem grosseira. Uma simples busca nos arquivos da publicação comprova que a tal capa nunca existiu. Mesmo assim, o boato se espalhou tanto que a própria Forbes fez questão de publicar um desmentido, em 2013. O nome de Lula jamais constou do ranking anual de bilionários dessa ou de qualquer outra revista, pela simples razão que Lula não é e jamais foi bilionário."

O item dois fala do filho do ex-presidente, Fabio Luís Lula da Silva, conhecido por Lulinha, com uma ironia na chamada: "O filho do Lula é dono da Friboi, de um avião, da Torre Eiffel e da Casa Branca". E o seguinte texto: "''Denúncias'' anônimas afirmam, sem apresentar fontes, que Lulinha é milionário, tem uma mansão faraônica e um avião de US$ 50 milhões e é um dos donos da empresa JBS, da marca de carnes Friboi. Mais uma mentira. Lulinha não é sócio da empresa, nunca teve avião e a foto da suposta mansão que pertenceria a ele mostra, na verdade, a bela sede da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq-USP), em Piracicaba. Lulinha pediu a abertura de inquérito policial para investigar as origens desses boatos, com o objetivo de identificar e punir os responsáveis. Os verdadeiros donos da Friboi são o empresário Joesley Batista e sua família." E como fontes são citados o próprio dono da Friboi e a Esalq.

Um outro ponto abordado, no item três, é o estado de saúde do ex-presidente da República. "Lula está com câncer no pâncreas, no pulmão e até já morreu", diz a chamada, seguida do texto: "Lula foi acometido por um câncer de laringe em 2011. Desde o início, a doença do ex-presidente foi tratada com toda transparência, a pedido do próprio Lula. O diagnóstico e as etapas do tratamento, até o desaparecimento do câncer, em 28 de março de 2012, foram amplamente divulgadas. Desde então, os exames periódicos feitos pelo ex-presidente são divulgados, em notas médicas que atestam a boa saúde dele. A última vez que Lula fez exames foi em 15 de novembro de 2014 e a nota divulgada pela equipe médica afirma o seguinte: ''Todos os exames apresentaram resultados normais''". Uma das fontes citadas para este assunto é o Hospital Sírio-Libanês, cuja equipe médica acompanha o ex-presidente.

Os outros itens apresentados no conteúdo interativo ''mitos e verdades'' desmentem que Lula receba aposentadoria por invalidez, argumenta que o ex-presidente não deu sorte por comandar o País numa fase em que a economia estava bombando. Nesse item, o site em defesa de Lula diz que ele promoveu crescimento com inclusão social mostrando dados comparativos de sua gestão com a do ex-presidente tucano (e seu antecessor) Fernando Henrique Cardoso: "Das grandes economias do mundo, nenhuma outra gerou 21 milhões de empregos, garantiu ganho real de 70% para o salário mínimo, triplicou os investimentos em educação, retirou 36 milhões de pessoas da miséria e promoveu 42 milhões à classe média - com inflação dentro da meta, dívida pública em queda, reservas internacionais sólidas e crescente protagonismo no cenário mundial."

O último item é sobre o Bolsa Família, que foi uma das grandes vitrines eleitorais do PT nas recentes eleições presidenciais. A defesa do ex-presidente nega que ele tenha simplesmente unificado programas já existentes no governo do PSDB. E argumenta: "Foi Lula, em 2003, quem unificou vários programas e multiplicou seu alcance e o volume de recursos, transformando-os em políticas de Estado. O governo Lula mostrou que os pobres não eram o problema do Brasil e sim parte da solução para que o país crescesse e se tornasse mais igual. Por isso, o investimento em políticas sociais cresceu sete vezes: de R$ 3 bi para R$ 25 bi. Hoje, graças ao Bolsa Família, 36 milhões de brasileiros e brasileiras estão fora da pobreza extrema."

Mais conteúdo sobre:
Lula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.