''Insisto em falar em caráter e ética, que Kassab não tem''

Entrevista - Marta Suplicy: candidata do PT; na Rádio Eldorado, petista bate duro no prefeito e diz que ele 'é uma pessoa de duas caras', pois 'tudo o que promete não cumpre'

João Domingos, O Estadao de S.Paulo

22 de outubro de 2008 | 00h00

A candidata Marta Suplicy (PT) insistiu ontem em pedir ao eleitor de São Paulo que na eleição do próximo domingo compare o caráter dela ao do prefeito Gilberto Kassab (DEM). E examine também o comportamento ético dos dois. "A ética do Kassab é a ética do PFL, que foi varrido do mapa do Brasil, que na Bahia perdeu 90% das prefeituras, que no Nordeste não fez nenhuma grande cidade. E agora quer sobreviver à custa de São Paulo."Para Marta, que concedeu entrevista à Rádio Eldorado no início da noite de ontem, Kassab deu "a demonstração definitiva de que não tem nem caráter nem ética porque promete, promete e não cumpre"."Ele não fez nenhuma licitação. Ele prometeu construir 25 Centros Educacionais Unificados e só entregou 14", criticou. "Ele não fez nenhum corredor exclusivo de ônibus, ele não retirou a favela que fica nas proximidades da Ponte Estaiada, ponte que deixei pronta para ele terminar." As entrevistas dos candidatos na Rádio Eldorado seguem amanhã, às 19 horas, com o prefeito Gilberto Kassab. Ele disporá dos mesmos 30 minutos concedidos ontem a Marta.A petista trajava calça azul e um casaco xadrez, com predominância das cores azul e verde, além de calçar tênis. Disse que era roupa de campanha. Por isso, recusou-se a posar para a fotografia que o Estado pretende publicar na edição de domingo, dia da eleição. "Estou muito desarrumada. Preciso me maquiar e pôr uma roupa melhor", disse a candidata, que se dispôs a fazer a foto em outra oportunidade. Num dos intervalos da entrevista, ouviu vários jingles dela e do adversário. Como este: "Toc, toc, toc, bate na madeira. Marta outra vez, nem de brincadeira." Dela, pôde apreciar este: "Marta vai vencer de novo, para o bem de nossa cidade, para o bem do povo."INDIGNAÇÃO"Estou muito indignada com o comportamento do Kassab. Ele me desafiou a ir ao CEU de Vila Formosa, que prometeu entregar em fevereiro e eu disse que provaria que ele não conseguiria. Quando cheguei lá, fiquei sabendo que ele tinha passado na obra pela manhã e tinha chamado os jornalistas para um estúdio, onde fez uma projeção virtual sobre como ficará a obra, quando for concluída. Isso é falta de caráter e de moral. Ele poderia ter se desculpado. Não tem problema. É só dizer que não deu tempo para fazer. Mas afirmar que vai entregar uma obra daquele tamanho em fevereiro é querer enganar a população. Por isso, insisto em falar em caráter e ética, que ele não tem. Hoje digo que a diferença de caráter é muito grande."CHORO"O dia foi muito emocionante. Tomei chuva ao me dirigir ao CEU. Fiquei tocada ao encontrar operários que às 3 da tarde estavam com a roupa limpinha, sem nenhuma sujeira. Essas coisas me emocionam, porque eu, quando prefeita, dei ordens para que os CEUs servissem aos trabalhadores. Disse isso para eles. Porque eles constroem prédios muito bonitos e não podem nem entrar lá. Então, quando moram por perto, o CEU deveria ser para eles também. Não fiquei emocionada por causa do Kassab. Esse não me emociona. Aliás, me deixa indignada. Fez um teatrinho ridículo. Quem devia chorar de vergonha pelo que fez é o Kassab."KASSAB E O DEM"A população brasileira varreu o PFL do mapa. A Bahia perdeu 90% das prefeituras administradas pelo PFL; no Nordeste o partido não fez nenhuma prefeitura em cidade grande. Em São Paulo eles tentam ainda dar um último suspiro, tentam sobreviver em São Paulo com o Gilberto Kassab. São Paulo não merece um prefeito que tem duas caras como o Kassab. Porque tudo o que ele fala ele não cumpre. É uma pessoa de duas caras. Ele não fala o que pretende fazer, porque não tem o que falar."LIGAÇÃO COM PITTA"O eleitor precisa se lembrar de que o Kassab é do PFL, é ligado ao Pitta (ex-prefeito Celso Pitta). Eles têm o mesmo DNA político. E o Pitta venceu a eleição porque tinha uma propaganda muito poderosa, um padrinho (Paulo Maluf) muito poderoso. Não vamos nos esquecer disso. Tenho certeza de que o eleitor já sabe dessa diferença. Eles destruíram a cidade. O Kassab passa o tempo todo enganando o eleitor, como o Pitta fez. O Kassab falou que faria dez corredores para ônibus, não fez nenhum." VANTAGEM DO ADVERSÁRIO"A diferença não é de 16 pontos. É de 8 pontos, porque tenho de tirar só 8 pontos dos votos dele. E o eleitor sabe que a melhor candidata sou eu. A cidade de São Paulo não merece um prefeito do PFL. A cidade de São Paulo não pode viver sem um grande projeto durante quatro anos. Disse para ele no debate: ?me diga o que você fez, você não fez nada?. Ele prometeu 32 quilômetros de linhas no Expresso Tiradentes e só fez oito. Quando o Pitta foi eleito, demos um cheque em branco para ele. Aliás, demos não, porque eu não votei nele. O povo deu um cheque em branco para ele. E veja o que aconteceu. Não pode dar um cheque em branco para o Kassab, que é da mesma turma."PRECONCEITO"Não houve preconceito na minha propaganda. Era uma propaganda no limite político, porque perguntava qual o estado civil do candidato, se ele tinha filhos, se tinha enriquecido na política, como tinha conseguido sua fortuna, qual sua origem. Aí, veio a imprensa e disse que era uma propaganda preconceituosa. Logo eu, que a vida inteira militei na defesa das minorias, iria fazer uma coisa dessas? Insisto: isso não é preconceito. Preconceito seria perguntar pela opção sexual do candidato, porque isso é da intimidade dele. Mas as coisas públicas têm de ser perguntadas. Acho que todo mundo que disputa um cargo público tem de explicar certas coisas, se é casado, se tem filhos, se enriqueceu na política, de onde veio a fortuna. Eu, por exemplo, tive a vida devassada, fui vítima de todo tipo de preconceito." PROMESSAS"Eu vou fazer mais 228 quilômetros de corredor para os ônibus, vou construir mais 23 quilômetros de metrô. Podem ter certeza de que vou fazer. Porque fiz obras importantes para São Paulo com R$ 10 bilhões a menos do que o Kassab, que no ano passado teve R$ 4 bilhões, que neste ano teve outros R$ 4 bilhões. E, mesmo com esse dinheiro, não fez uma única licitação, não fez nenhum projeto novo. Só se aproveitou dos que deixei para ele. E nem os terminou direito. O povo sabe que faço. Em Tiradentes, onde fiz hospital, tive 60% dos votos. O povo sabe disso tudo." OUSADIA"O prefeito de São Paulo precisa ter ousadia, tem de saber do que a cidade precisa, tem de saber qual é a parte da cidade que necessita de obras. Não pode ser igual ao Kassab, que não tem nenhum grande projeto, que só sabe copiar o que outros fizeram pela cidade. É preciso pensar a cidade, criar projetos. Quando eu faço críticas ao Kassab, não é pela continuidade, mas pela falta de iniciativas, pela paralisação das obras. Ele levou dois anos para reiniciar coisas que eu já tinha iniciado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.