Divulgação
Divulgação

Insatisfeito com composição de chapa, deputado deixa PSD

Sóstenes Cavalcante fez críticas ao presidente do partido, ministro Gilberto Kassab, e ao líder na Câmara, Rogério Rosso; parlamentar discorda dos nomes escolhidos para integrar comissão especial do impeachment

Daniel Carvalho, Igor Gadelha, Bernardo Caram, Daiene Cardoso e Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2016 | 14h20

Brasília - Insatisfeito com as indicações do PSD para compor a comissão do impeachment da presidente Dilma Rousseff, o deputado Sóstenes Cavalcante (RJ) anunciou sua desfiliação do partido nesta quinta-feira, 17. Cavalcante, que já estava de partida para o PSDB, disse que o líder do PSD, Rogério Rosso (DF), escolheu apenas um deputado contrário ao governo para a vaga de suplente. O PSD tem quatro vagas.

Sóstenes criticou tanto Rosso quanto o ministro Gilberto Kassab (Cidades), presidente do partido. "Rogério Rosso e Gilberto Kassab estão de cócoras para esse desgoverno do PT. A composição dos membros do PSD no impeachment só indicou da chapa avulsa Evandro Roman como suplente. Não respeitou a chapa avulsa como fez, por exemplo, PMDB, PP e outros partidos da base", afirmou Sóstenes Cavalcante. Rosso indicou Júlio Cesar (PI), Marcos Montes (MG), Paulo Magalhães (BA) e a si mesmo como titular. Os suplentes são Evandro Roman (PR), Fernando Torres (BA), Goulart (SP) e Irajá Abreu (TO).

Segundo o Estado apurou, líderes da oposição e aliados do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), reuniram-se na noite de quarta-feira para fazer a contagem de seus votos, e acertaram de eleger o líder do PSD, Rogério Rosso (DF), para presidente da comissão e Jovair Arantes (GO), líder do PTB, para relator. Esses dois postos são escolhidos por votação entre os membros do colegiado. Da base aliada, mas próximos a Cunha, os nomes foram escolhidos por não serem radicais e por terem trânsito dos dois lados. Inicialmente, eles não queriam ocupar os postos, mas foram convencidos após insistência.

No entanto, nem todos concordam com os nomes. A oposição reuniu-se na manhã desta quinta-feira e deve reunir-se novamente nesta tarde. Um líder oposicionista disse ao Estado que novos nomes deverão surgir.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.