Fabio Motta|Estadão
Fabio Motta|Estadão

Inquérito contra secretário do Rio que agrediu ex-mulher vai para a PGR

Por ser deputado federal licenciado, Pedro Paulo só pode ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal; caberá à Procuradoria-Geral da República definir se denunciará ou não Pedro Paulo por violência doméstica

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

08 de novembro de 2015 | 14h38

Rio - O procurador-geral de Justiça do Rio, Marfan Martins Vieira, encaminhou na sexta-feira, 6, ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, os autos do inquérito sobre a agressão cometida pelo pré-candidato à prefeitura do Rio pelo PMDB, Pedro Paulo Carvalho, contra Alexandra Mendes Marcondes, sua ex-mulher. Por ser deputado federal licenciado, Pedro Paulo só pode ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal. Caberá à PGR definir se denunciará ou não Pedro Paulo por violência doméstica.

Na manhã deste domingo, Pedro Paulo, que é secretário-executivo de coordenação de governo da prefeitura, acompanhou Eduardo Paes e o governador Luiz Fernando Pezão, ambos do PMDB, na entrega do Centro de Transmissões das Imagens da Olimpíada de 2016. Sorridente, posou para as fotos segurando a chave que simboliza a conclusão das obras, ao lado de Paes, Pezão e Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos. Ele se recusou a comentar o assunto. Paes saiu em defesa do seu secretário. “Ele é o melhor candidato”, afirmou Paes. “O meu candidato é o Pedro Paulo e vai continuar até o fim”.

O PMDB já havia divulgado nota na sexta-feira, 6, informando que “não cogita outro nome para a sucessão do prefeito Eduardo Paes (PMDB) que não seja o do secretário Pedro Paulo”. Para o comando regional da legenda, “as notícias (sobre as agressões) já foram esclarecidas e não são motivo de preocupação para o PMDB-RJ”. 

A discussão entre Pedro Paulo e Alexandra ocorreu em 2010, quando eles ainda eram casados, depois de ela descobrir uma traição. Na quinta-feira, 5, o secretário admitiu as agressões em entrevistas e pediu desculpas públicas pelo episódio. “Não nego o erro que cometi”, afirmou ele, que se referiu ao fato como “um descontrole” do casal.

Na ocasião, Alexandra registrou boletim de ocorrência da agressão e passou por exame de corpo de delito, que atestou hematomas e um dente quebrado. Pedro Paulo também passou pelo exame, que detectou arranhões e marcas vermelhas. Na terça-feira, 3, Alexandra se apresentou espontaneamente no Ministério Público. Não foi divulgado o teor do depoimento. De acordo com Pedro Paulo, ela manifestou o desejo de “que esse episódio seja arquivado como foi arquivado no âmbito da Vara de Família”.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.