Fabio Motta|Estadão
Fabio Motta|Estadão

Inquérito contra secretário do Rio que agrediu ex-mulher vai para a PGR

Por ser deputado federal licenciado, Pedro Paulo só pode ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal; caberá à Procuradoria-Geral da República definir se denunciará ou não Pedro Paulo por violência doméstica

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

08 Novembro 2015 | 14h38

Rio - O procurador-geral de Justiça do Rio, Marfan Martins Vieira, encaminhou na sexta-feira, 6, ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, os autos do inquérito sobre a agressão cometida pelo pré-candidato à prefeitura do Rio pelo PMDB, Pedro Paulo Carvalho, contra Alexandra Mendes Marcondes, sua ex-mulher. Por ser deputado federal licenciado, Pedro Paulo só pode ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal. Caberá à PGR definir se denunciará ou não Pedro Paulo por violência doméstica.

Na manhã deste domingo, Pedro Paulo, que é secretário-executivo de coordenação de governo da prefeitura, acompanhou Eduardo Paes e o governador Luiz Fernando Pezão, ambos do PMDB, na entrega do Centro de Transmissões das Imagens da Olimpíada de 2016. Sorridente, posou para as fotos segurando a chave que simboliza a conclusão das obras, ao lado de Paes, Pezão e Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos. Ele se recusou a comentar o assunto. Paes saiu em defesa do seu secretário. “Ele é o melhor candidato”, afirmou Paes. “O meu candidato é o Pedro Paulo e vai continuar até o fim”.

O PMDB já havia divulgado nota na sexta-feira, 6, informando que “não cogita outro nome para a sucessão do prefeito Eduardo Paes (PMDB) que não seja o do secretário Pedro Paulo”. Para o comando regional da legenda, “as notícias (sobre as agressões) já foram esclarecidas e não são motivo de preocupação para o PMDB-RJ”. 

A discussão entre Pedro Paulo e Alexandra ocorreu em 2010, quando eles ainda eram casados, depois de ela descobrir uma traição. Na quinta-feira, 5, o secretário admitiu as agressões em entrevistas e pediu desculpas públicas pelo episódio. “Não nego o erro que cometi”, afirmou ele, que se referiu ao fato como “um descontrole” do casal.

Na ocasião, Alexandra registrou boletim de ocorrência da agressão e passou por exame de corpo de delito, que atestou hematomas e um dente quebrado. Pedro Paulo também passou pelo exame, que detectou arranhões e marcas vermelhas. Na terça-feira, 3, Alexandra se apresentou espontaneamente no Ministério Público. Não foi divulgado o teor do depoimento. De acordo com Pedro Paulo, ela manifestou o desejo de “que esse episódio seja arquivado como foi arquivado no âmbito da Vara de Família”.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.