Inquérito conclui que assentado foi morto por vingança

Um dia depois da abertura do inquérito para investigar o assassinato de José Cândido da Silva, presidente da Associação de Assentados de Mascatinho, em Tamandaré, na zona da mata sul, em Pernambuco, a delegada do município, Ana Patrícia Alcoforado, concluiu que o crime foi motivado porvingança.Ela identificou os dois supostos assassinos e pediu sua prisão preventiva, decretada ainda nesta quarta-feira pela juíza de Rio Formoso - município vizinho -, Helena Medeiros. As prisões não haviam sido efetuadas até o início da noite desta quarta.A delegada descartou a versão do Movimento dos Sem-Terra de que o agricultor teria sido morto por denunciar o desmatamento da reserva pertencente ao assentamento. O vice-prefeito Paulo Silva (PSB) confirmou que José Cândido vinha sendo ameaçado de morte por combater a derrubada da mata e revelou que os primeiros ofícios da Prefeitura neste ano foram encaminhados às polícias militar e civil denunciando o fato e pedindo proteção para o assentado."O problema do desmatamento aconteceu no ano passado, não tem nada a ver com o crime", disse a delegada. Segundo ela, os dois autores da morte do agricultor eram ex-integrantes do assentamento.Sem citar os nomes dos acusados para não dificultar as prisões, ela disse que umdeles tinha uma parcela de terra que vendeu para um advogado.José Cândido conseguiu desfazer a venda - proibida pelo Incra - e repassou a terra para o órgão. O suspeito teria ameaçado matar quem o fizesse perder a área. O outro criminoso seriairmão do ex-assentado.O MST tomou conhecimento da conclusão do inquérito no final da tarde desta quarta e disse que só se pronunciaria sobre o caso depois de se informar sobre a situação. A assessoria deimprensa do movimento afirmou que, apesar das declarações da delegada, os assentados mantêm a versão de que a morte teve ligação com a derrubada de árvores da reserva, fato que continua ocorrendo.O assentamento, de 1998, tem 62 famílias euma área de 800 hectares - 200 deles de mata atlântica, intocáveis, que devem serpreservados. José Cândido fez denúncias ao Ibama, à Prefeitura e ao Incra sobre a ação dosmadeireiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.