Inocêncio rebate críticas de Alckmin ao PFL

O líder do PFL na Câmara, Inocêncio Oliveira (PE), voltou a ironizar os tucanos ao responder, com humor, às provocações do governador Geraldo Alckmin (SP). "Quem é especialista em salto alto é o PSDB, achando sempre que tem os melhores quadros. Eu uso é alpargatas e sandalinhas de borracha", disse o parlamentar que, apesar da presença do ministro José Serra, da Saúde, não escondeu sua preferência pela retomada da aliança entre PMDB e PFL que, nos anos 80, ficou conhecida como ?aliança democrática?. "Quem fala com as elites e com a intelectualidade é o PSDB. Eu falo é com o povo", prosseguiu o pefelista.Usando óculos escuros por conta de uma conjuntivite, Inocêncio Oliveira insistiu em afirmar que, para o PFL, nos Estados, a parceira com o PMDB é mais viável. Enquanto o presidente do partido, senador Jorge Bornhausen (SC), afirmava, com discrição, que ainda é cedo para excluir parcerias, Inocêncio não escondia sua aversão aos tucanos, especialmente ao ministro Serra. "O PSDB tem que se convencer de que a supremacia dos últimos anos só prevalecerá se tiver um candidato viável para vencer as eleições", comentou. As ironias de Inocêncio, que inclusive lançou o nome do deputado Michel Temer (PMDB-SP) como vice numa eventual chapa encabeçada pela governadora Roseana Sarney (MA), causaram diversas reações tanto no PMDB quanto no PSDB."Tudo que vem do Inocêncio merece respeito", brincou o presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), um defensor da manutenção da aliança entre PMDB, PFL e PSDB, que reelegeu o presidente Fernando Henrique. "Ainda avançaremos para ter a aliança", observou. O líder do PSDB, deputado Jutahy Magalhães Júnior (BA), partidário da candidatura José Serra no partido, não poupou ataques. "Se vantagem significasse vitória, Inocêncio teria sido eleito presidente da Câmara", numa referência à preferência de Roseana nas pesquisas. Já o líder do PMDB, deputado Geddel Vieira Lima (BA), telefonou para Inocêncio a fim de agradecer a proposta do pefelista. E o deputado Michel Temer ficou gratificado. "Em termos de estratégia política é forte", disse, deixando claro que uma dobradinha entre Roseana e um político de São Paulo, o seu caso, seria interessante. Mas lembrou que ainda não está afastada a possibilidade de vir a disputar as prévias dentro do PMDB como candidato à sucessão presidencial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.