Inocêncio não acredita em candidatura de Bornhausen

O líder do PFL na Câmara e candidato à presidência da Casa, Inocêncio Oliveira (PE), argumenta que conversou longamente com o próprio Bornhausen e que a hipótese da candidatura própria foi afastada nesta quarta-feira cedo. "Se não acharem um candidato fora do PFL, eles vão liberar a bancada, embora o certo fosse votar em Jefferson Peres para termos o apoio da esquerda na Câmara", garantiu. Não é o que dizem os senadores. "Perder é do jogo, mas cruzar os braços sem lutar fica feio para o partido", pondera o vice-presidente do PFL, senador José Jorge (PE). Na reunião, ele foi um dos que defenderam uma "terceira via", ainda que o nome do candidato saia do próprio PFL. Apesar dos apelos insistentes de Inocêncio, que chegou até a articular um abaixo-assinado dos deputados pefelistas aos senadores, pedindo voto a Peres, o grupo de Bornhausen fará tudo para tirar o PFL da candidatura de oposição ao governo. O ideal é que isto ocorra com um candidato da base aliada, como o senador Arlindo Porto (PTB-MG). Mas o único que levou a sério esta alternativa nas conversas do jantar foi o senador Francelino Pereira (PFL-MG). Francelino se preocupa com a hipótese de o partido lhe criar mais uma dificuldade no Estado em que ele já enfrenta a oposição do governador Itamar Franco e a do líder tucano Aécio Neves, que pode vencer o PFL na sucessão da Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.