Inocêncio manifesta apoio a ACM

O líder do PFL na Câmara, Inocêncio Oliveira (PE), disse hoje, ao sair de encontro com o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), que o parlamentar baiano está muito emocionado. Inocêncio confirmou que ACM pretende viajar esta tarde para Salvador, mas que deverá voltar a Brasília na segunda-feira. Durante o encontro, do qual participaram também o advogado Marcio Thomaz Bastos e o deputado Paulo Magalhães (PFL-BA), eles voltaram a comentar o que consideram exagero da pena de cassação pela violação do painel eletrônico do Senado. "Segundo Márcio Thomaz Bastos, ele estaria sendo julgado pelo conjunto da obra e não pelo delito em si", disse Inocêncio, afirmando que ACM vai à Bahia buscar inspiração e que "na semana que vem vai tomar a melhor decisão".Inocêncio disse foi ao apartamento do senador para levar o total apoio do partido no que chamou de momento difícil para a carreira de ACM. Ele afirmou ainda que o senador baiano prestou grandes serviços ao PFL e que o seu partido nunca o abandonará "em qualquer circunstância". Perguntado se o tom de suas declarações não seria uma despedida do senador, Inocêncio Oliveira disse que não. "Ele vive um momento difícil", repetiu.Segundo o deputado, as pesquisas na Bahia indicam que 75% da população apóia ACM e que ele não tem nada a temer. Inocêncio Oliveira atribui a tendência de cassação do senador, no processo de violação do painel eletrônico do Senado, a motivos que extrapolam os delitos cometidos. "Acho que ele não está sendo julgado pela violação, mas pelo conjunto de inimigos que construiu na sua vida", disse Inocêncio Oliveira. O deputado afirmou que vê o papel do presidente Fernando Henrique Cardoso, neste episódio, como de neutralidade e evitou comentar a renúncia do senador José Roberto Arruda (sem partido-DF).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.