Inocêncio diz que cúpula do PFL agirá à revelia dos governadores

O deputado federal Inocêncio Oliveira (PFL), disse hoje, no Recife, que a cúpula do partido vai agir à revelia dos governadores, que apoiam a taxação dos inativos defendida pelo governo federal. Segundo ele, os governadores pefelistas serão isolados porque querem a taxação como forma de enfrentar o déficit previdenciário, ao contrário da maioria dos deputados e senadores."Não vai ser fácil, os governadores estão de um lado e a bancada do outro", afirmou Oliveira. "O PFL vai trabalhar diretamente com os parlamentares mostrando a importância de se marcar posição e oposição". Ele avaliou que com exceção da Bahia, onde os deputados dependem do governador Paulo Souto, nos outros Estados governados pelo partido - Sergipe e Maranhão - as bancadas são independentes. Inocêncio Oliveira apontou também o adesismo ao governo federal como dificuldade para se impedir que os aposentados venham a pagar a Previdência. "Nunca vi um congresso tão governista", disse ele, estimando que apenas 50 dos 70 deputados do PFL e outros 50 do PSDB fazem oposição ao governo Lula (PT). Mesmo dentro desse quadro, ele acredita que a taxação não será implantada. "Temos a nosso favor o tempo e a opinião pública". Ao seu ver, o próprio governo terminará retirando esta cláusula da proposta, diante da pressão que a população deverá fazer?, afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.