Inocêncio ainda busca votos

Faltando menos de duas horas para o início da sessão que elegerá o próximo presidente da Câmara, o ambiente no Congresso é de relativa tranqüilidade. Fora a tensão normal dos núcleos que comandam as campanhas dos principais candidatos, nenhum incidente à vista. A tensão maior é no comando da campanha do líder do PFL, Inocêncio Oliveira (PE), que corre obstinadamente em busca de dissidências nos partidos que declararam apoio ao seu principal adversário, o líder do PSDB, Aécio Neves (MG). Inocêncio está com dificuldades para manter a unidade da bancada. Em uma reunião realizada há pouco em seu gabinete, ele apelou para que os quatro candidatos avulsos à primeira Vice-presidência da Câmara renunciassem em favor do candidato oficial da bancada, Jaime Martins (MG). Não conseguiu. A luta maior de Inocêncio agora é conseguir votos suficientes para levar a disputa a um segundo turno e contar com o imponderável: uma eventual derrota do presidente do PMDB, Jader Barbalho (PA), na eleição para a Presidência do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.