Inocêncio: afastamento do governo ?é pra valer?

O deputado Inocêncio Oliveira (PFL-PE) afirmou hoje, em reunião com deputados do PT, que seu afastamento do governo é um movimento ?pra valer?. "Queimei os navios, as caravelas e os barcos, e meu caminho não tem volta". Inocêncio foi muito questionado sobre a real independência de sua candidatura à presidência da Câmara. Em resposta a uma pergunta feita pelo deputado Fernando Ferro (PT-PE), Inocêncio disse que não há cabimento em suspeitar que sua candidatura é sustentada pelo Palácio do Planalto, já que tanto os ministros quanto a estrutura de comunicação do governo quanto à liberação de verbas oficiais têm sido usados contra ele. "Se o PFL voltar atrás para fazer composição, o candidato não será Inocêncio Oliveira", assegurou. Ele garantiu ainda ao deputado José Genoíno que, como presidente da Câmara, não iria interferir no processo eleitoral para a Presidência da República em 2002. "Não há possibilidade de eu voltar ao núcleo do poder". Inocêncio acrescentou que o presidente da Câmara não deve ir ao Palácio do Planalto participar de reuniões, nem aceitar que lá seja feita a pauta de votações da Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.