Indústria do cigarro tenta impedir aprovação de convenção, diz Costa

O ministro da Saúde, Humberto Costa, acusou a indústria do cigarro de usar os produtores de fumo e senadores da República contra a aprovação da convenção-quadro internacional para o controle do tabaco, que está na comissão de Relações Exteriores do Senado. "A indústria do cigarro está confundindo os pequenos produtores e os senadores. Os representantes da indústria estão dizendo que, aprovada a convenção, teremos de acabar com a produção. Não é isso. Vai haver uma substituição gradual da cultura do tabaco e será com ajuda financeira", afirmou. "Alguns senadores estão embarcando nessa confusão e alguns estão fazendo política". Ele acusou a bancada do Rio Grande do Sul de embarcar no lobby da indústria do cigarro contra a aprovação da convenção-quadro. Entre os senadores do Sul, está o vice-presidente do Senado, Paulo Paim (PT), do partido do ministro da Saúde. "O senador Paulo Paim está equivocado", disse Humberto Costa. Segundo o ministro, a imagem do País sairá arranhada por causa do atraso na votação da proposta. "Isso será muito ruim para o País", declarou. O ministro disse que, por conta desse atraso, o Brasil não entrou na lista dos 40 primeiros países que ratificaram a convenção. "Como o País não está nesta lista, não estamos participando das discussões iniciadas para definir, por exemplo, forma de crédito para a substituição da cultura de fumo por outra alternativa economicamente viável", declarou. "Certamente, haverá dinheiro internacional para que os países produtores façam a substituição das culturas. Poderemos ser prejudicados nisso. Não podemos mais perder tempo", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.