Índios Xerente seqüestram oito pessoas

Oito pessoas foram seqüestradas por índios Xerente da Aldeia Brejo Comprido, em Tocantínia (TO). O grupo, formado por pessoas que trabalhavam em projetos ambientais na reserva indígena, está em poder dos índios desde quarta-feira. Eles estão incomunicáveis e alguns até amarrados. Entre os seqüestrados estão quatro consultores da Unesco: George Caldas, Ulisses Uzonto, Adriano Silva Leite e Antenor Gonçalves. Os quatro trabalhavam na reserva a serviço da Funai. Os outros - Juarez Pereira da Silva, Augusto Simone Silva e José Assumpção - são pesquisadores da empresa Investco. O oitavo refém é o técnico do Naturatins Eduardo Regente Queiroz. Os índios reivindicam da Investco o desenvolvimento de programas ambientais e de geração de renda nas 34 aldeias da região. A Investco é a empresa responsável pela construção de uma usina na região. O procurador-chefe da República no Tocantins, Mário Lúcio Avelar, viajaria ainda nesta quinta-feira para a reserva na tentativa de solucionar o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.