Índios serão recebidos por ministros em Brasília

Cerca de 200 indígenas serão recebidos, na manhã desta sexta-feira, 19, pelos ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, em um ato comemorativo pelo Dia Nacional do Índio. Durante a solenidade, será instituído o Comitê Gestor da Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas.

TÂNIA MONTEIRO E LISANDRA PARAGUASSU, Agência Estado

19 Abril 2013 | 08h05

Cerca de 400 índios passaram quase quatro horas, na quinta-feira, 18, acampados e dançando em frente à entrada principal do Palácio do Planalto em protesto contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 215, que transfere do Poder Executivo para o Congresso Nacional a decisão final sobre a demarcação de terras indígenas no Brasil. O mesmo grupo invadiu, na terça-feira, o plenário da Câmara dos Deputados.

No protesto no Planalto, eles queriam ser recebidos pela presidente Dilma Rousseff, não aceitando interlocutores do governo para a negociação. No entanto, a presidente estava em Lima, no Peru, para a reunião extraordinária da Unasul.

Depois de prometerem passar a noite acampados, os índios acabaram deixando o local por volta das 21 horas. Eles se deslocaram para um acampamento, fora de Brasília, onde iriam passar a noite, mas prometeram voltar nesta sexta-feira para o encontro no ministério da Justiça e para mais protestos.

Quando voltarem, no entanto, encontrarão um "procedimento padrão" em prática, adotado pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI). O ministro-chefe do GSI, general José Elito, não quis informar no que consiste esse procedimento padrão mas, quando há previsão de manifestações, a segurança do governo coloca grades em torno do Planalto e convoca a Polícia Militar do DF para evitar o avanço para a porta do palácio, além de mobilizar a Polícia do Exército, que estava pronta para entrar em operação na noite de quinta-feira, 18, caso fosse necessário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.