Índios pataxós vão acampar no STF para tentar recuperar terras

Cansados de esperar pela solução de um problema que se arrasta há mais de vinte anos, índios da tribo Pataxó Hã-Hã-Hãe do município baiana do Pau Brasil, decidiram acampar em frente ao prédio do Supremo Tribunal Federal (STF) a partir de segunda-feira (25). Um grupo de 60 pataxós segue hoje de ônibus para Brasília com o objetivo de realizar o protesto. Eles querem que os ministros do STF julguem a ação de nulidade de títulos cedidos irregularmente pelo governo baiano para fazendeiros da região sul da Bahia, na década de 80. O deputado Luiz Alberto (PT-BA), que acompanha o caso dos índios, disse que o julgamento da ação deveria ter entrando na pauta do STF no último dia 15. Os pataxós reivindicam cerca de 54 mil hectares de terras pertencente à Reserva Caramuru Catarina Paraguaçu, onde foram instaladas centenas de fazendas. Nos últimos três anos os índios decidiram invadir as fazendas para retomar as terras à força o que tem gerado conflito com os fazendeiros. Nos últimos 20 anos de disputa pelas terras, 13 pessoas morreram em emboscadas e tiroteios. Os pataxós acreditam que se o STF anular os títulos dos fazendeiros não haveria mais motivo para dúvidas e eles poderiam retomar suas terras com o apoio das autoridades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.