Índios ocupam porto da Aracruz e interrompem operações

Cerca de cem índios interromperam nesta terça-feira exportações da Aracruz, uma das maiores fabricantes mundiais de celulose, depois de ocuparem um importante porto para exigir terras de posse da empresa. O porto Portocel, no Espírito Santo, foi forçado a parar as operações, de acordo com uma porta-voz da empresa. A ocupação pacífica é parte de uma disputa entre os indígenas e a Aracruz por 42 quilômetros quadrados, ou 11 mil hectares, de área. Os índios alegam ter direitos ancestrais ao território, mas a Aracruz, dona dos direitos legais, produziu estudos antropológicos para contestar as exigências dos indígenas. A Aracruz, a maior produtora mundial de celulose extraída de eucalipto, é dona de milhares de hectares na região onde são muitas as árvores desse tipo.

Agencia Estado,

12 Dezembro 2006 | 15h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.