Índios ocupam Funasa exigindo assistência médica

Cerca de 200 índios das tribos Fulniô - do município de Águas Belas - e Pancararu - de Jatobá - ocuparam hoje, por mais de duas horas, a sede da Fundação Nacional da Saúde (Funasa), no Recife, reivindicando melhor assistência médica. Eles reclamaram da demora para conseguir autorização para tratamento no Recife, da falta de transporte para levá-los à capital e da falta de hospedagem.Maria Edileide da Silva, dos Pancararu, disse que às vezes se espera até seis meses para um doente poder ser tratado no Recife. "A única coisa que sai ligeiro na Funasa é o caixão", disse ela. Os indígenas denunciaram que a Funasa, que passou a ter a atribuição - no lugar da Funai - do atendimento médico das tribos não está cumprindo o que prometeu.O coordenador regional da Funasa, Giovani Sá Andrade, considerou que os índios exageram nas queixas e informou que vai pedir ao Ministério Público uma inspeção para avaliar as ações do órgão na área. Depois de receber a promessa de melhoria na assistência médica, os índios deixaram a Funasa e ficaram acampados na sede da Funai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.