Índios matam fazendeiro e fazem reféns em Santa Catarina

Um fazendeiro foi morto nesta segunda-feira e seis pessoas foram feitas reféns por cerca de 200 índios caingangues, em Abelardo Luz, no oeste de Santa Catarina. Eles reivindicam a desapropriação de 2 mil hectares para 41 famílias. Os caingangues fecharam a estrada que passa pelas terras, na localidade de Toldo Embu, na noite de domingo. Na madrugada, Olices Stefani, de 53 anos, que era presidente do Sindicato dos Empregadores Rurais do município, foi ao local para saber o que estava acontecendo. Foi morto com um tiro na cabeça. Seis ruralistas que também passaram pelo local foram feitos reféns, mas já foram libertados.O cacique Albari Santos disse que os índios se defenderam. "Ele (Stefani) chegou e deu dois tiros", afirmou o autor do disparo que matou o ruralista, ainda não foi identificado. Sobre os reféns, Albari afirmou que essa foi a única forma encontrada para pressionar por uma solução. Segundo o cacique, as 41 famílias de índios moram há cinco anos em 9 hectares de terra, mas querem a demarcação dos 2 mil hectares que eram de seus antepassados e foram vendidos a colonos. Como a questão está há um ano no Ministério da Justiça, os índios decidiram protestar.Após um dia inteiro de negociações, agentes da Polícia Federal e da Funai permaneciam no local até o início da noite tentando convencer os índios a liberarem os reféns. "Vamos manter a intermediação, buscando sempre o diálogo e o acordo entre as partes", disse o administrador regional da Funai em Chapecó, Antônio Izomar Marine. O secretário de Articulação Nacional de Santa Catarina, Valdir Colatto, enviou um ofício ao presidente da Funai, Mércio Pereira Gomes, pedindo a intervenção pessoal dele para a libertação dos reféns.O protesto terminou por volta das 19h15, quando os quatro reféns foram liberados. O advogado do Sindicato dos Empregadores Rurais de Abelardo Luz, Sérgio Dalben, o vereador Carlos Senes Pinto (PFL) e os agricultores Arginei José Vaz e José Trevisan foram retirados do local do conflito pelo delegado da Polícia Federal de Chapecó, Cleberson Alminhana.Os reféns foram soltos enquanto o corpo do fazendeiro Olices Stefani estava sendo sepultado. O fazendeiro era um dos produtores de grãos mais importantes de Santa Catarina e, além de presidir o Sindicato dos Empregadores Rurais da cidade, também presidia a cooperativa Cooptar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.