Índios mantêm refém funcionário da Funai em Cuiabá

O administrador regional da Funai em Cuiabá, Ariovaldo José dos Santos, está desde o meio-dia de segunda-feira em poder de cerca de 50 índios das etnias kaiabi, arara, enawenê-nawê e rikbatsa, que invadiram o prédio da fundação em Mato Grosso. Ariovaldo está impedido de deixar o gabinete, mas está se alimentando e recebe visitas e telefonemas.Os índios, cujas reservas estão no norte do Estado, reivindicam a manutenção dos núcleos de apoio ao índio, nos municípios de Juína (MT) e Vilhena (RO), os quais estão ameaçados de extinção com o corte no orçamento da Funai. Os índios afirmam que só deixam o local depois de receberem a visita do presidente da Funai, Eduardo Aguiar de Almeida, que deverá se comprometer em não promover as mudanças."Nós estamos aqui porque não fomos ouvidos pelo governo federal para que medidas que nos afetam diretamente fossem tomadas?, disse o presidente da Associação dos Rikbatsa, Isidoro Reromuitsa. ?Com a desativação dos núcleos de apoio ficaremos à mercê?. Segundo Ariovaldo, parte das reivindicações dos índios devem ser atendidas nos próximos dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.