Índios mantêm funcionários da Funai reféns no MS

Alegando falta de instrumentos de trabalho, os índios que habitam a Aldeia Buriti, em Sidrolândia, Mato Grosso do Sul, mantém reféns há dois dias o chefe de assistência da Fundação Nacional do Índios (Funai) em Campo Grande, Danilo Luiz, e o motorista do órgão, Nilton Bueno. Eles culpam o chefe do posto da Funai no município, Samuel Dias, pela não distribuição correta das ferramentas e querem a demissão do funcionário.

JOÃO NAVES DE OLIVEIRA, Agencia Estado

24 de março de 2010 | 20h06

"Queremos um novo chefe e ferramentas para todos que querem trabalhar na aldeia", disse um dos índios.

Pelo menos 200 índios estão envolvidos na ação. Eles indicaram o índio Argeu Reginaldo para substituir Samuel Dias.

Tudo o que sabemos sobre:
MSíndiosrefénsFunai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.