Índios mantém 3 funcionários da Funai presos em gaiolas

Três funcionários da Fundação Nacional do Índio (Funai) são mantidos como reféns desde ontem por 600 índios da tribo Munduruku, no Estado do Pará. Os índios reivindicam a retirada de 300 garimpeiros que trabalham clandestinamente na reserva, situada no município de Jacareacanga, no oeste do Pará. Os três funcionários foram detidos após uma reunião, na qual deveria ser tratada a remoção dos garimpeiros. "Fomos pegos de surpresa com essa atitude dos índios, não esperávamos isso", disse o assessor de imprensa da Funai, Cid Furtado Filho. Os funcionários estão presos em gaiolas de madeira e os índios ameaçam queimá-los vivos se a Funai não retirar os garimpeiros. Furtado Filho acredita que os índios resolveram deter os funcionários para garantir e agilizar a retirada dos garimpeiros.Segundo Furtado Filho, a Funai vem negociando a retirada desses garimpeiros desde a semana passada e os três funcionários foram enviados à reserva para iniciar a operação. "São funcionários que conhecem esse tipo de conflito e estão acostumados com essas negociações", disse ele. Furtado Filho informou que a Polícia Federal já está na reserva e hoje começa a operação de retirada dos garimpeiros. "Não há com o que sem preocupar. Um avião da Funai já está no local para retirar os funcionários e a Polícia Federal ajudará na retirada dos garimpeiros", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.