Índios libertam funcionários da Funai no Pará

Os três funcionários da Fundação Nacional do Índio (Funai), Ivanildo Viana Rocha, Osvaldo Pinto e Wagner Tran, mantidos reféns havia uma semana, foram libertados no começo da noite de ontem pelos índios mundurucus, da aldeia Sai Cinza, em Jacareacanga, no sudoeste do Pará. A negociação para a libertação dos três foi comandada por agentes da Polícia Federal do Pará, que desembarcaram ontem pela manhã na aldeia em companhia de técnicos da Funai e do Departamento Nacional da Produção Mineral. Ficou decidida a saída imediata dos 300n garimpeiros que ocupam parte da reserva há mais de 20 anos. A permanência dos garimpeiros na região provocou a revolta dos índios. Os garimpeiros serão transferidos para dois assentamentos do Incra em Santarém. A demarcação da reserva de 124 mil hectares deve começar hoje pela manhã, como queriam os índios. Os índios chegaram a ameaçar queimar os três reféns vivos se os garimpeiros continuassem na área. Depois de libertados, os reféns foram levados de avião para Jacareacanga. O procurador da República em Belém, Felício Pontes Júnior, e a procuradora de Santarém, Solange Braga, intermediaram a negociação pacífica do problema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.