Índios libertam funcionários da Funai em MG

Índios da tribo xacriabá em São João das Missões, no norte de Minas, mantiveram quatro funcionários da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) reféns por aproximadamente 16 horas. Segundo a Polícia Militar (PM), as vítimas foram libertadas ilesas após um acordo com a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde para melhorias no atendimento na região.

MARCELO PORTELA, Agência Estado

25 de abril de 2012 | 17h57

Os servidores são ligados ao órgão e foram feitos reféns por volta das 18h de terça-feira (24), quando chegaram para prestar assistência médica na aldeia do Brejo Mata Fome, uma das maiores da reserva xacriabá, com cerca de 2 mil habitantes. Ainda de acordo com a PM, os índios fizeram os trabalhadores reféns para protestar contra o atendimento de saúde prestado na área.

Para libertar os funcionários, a Sesai se comprometeu a construir, ainda este ano, uma unidade básica de saúde na reserva, um hospital e um centro de odontologia em São João das Missões. Os índios também reivindicam captar água do rio São Francisco, mas ainda deve ser feita uma pesquisa para verificar a viabilidade da ação. A Polícia Federal participou das negociações junto com representantes do Departamento de Atenção à Saúde Indígena (Dasi).

Tudo o que sabemos sobre:
índiosrefénsMGFunai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.