Índios invadem obra de transposição do São Francisco

Eles reivindicam a área e temem que o projeto afete a pesca e agricultura na Bahia

Tiago Décimo, do Estadão

10 de julho de 2007 | 19h35

Cerca de 300 integrantes da tribo Tumbalalá invadiram, na madrugada de desta terça-feira, 10, a Fazenda Palestina, no município de Curaçá (BA), a 593 quilômetros de Salvador, divisa com Pernambuco, às margens do Rio São Francisco. No local, está prevista a construção de duas barragens durante as obras de transposição. Os tumbalalás, que habitam a aldeia Pambu, nas proximidades da fazenda, reivindicam a área onde serão realizadas as obras e temem que a transposição afete a pesca e a agricultura na região, principais fontes de renda dos integrantes. "Estamos perdendo nossas áreas e vamos ter prejuízos com a transposição", afirma a líder da aldeia, Maria José Marinheiro. "Não podemos ficar de braços cruzados." De acordo com ela, o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, visitou a tribo e prometeu melhorias para os índios, com a instalação de redes de saneamento básico na região. "Já explicamos a ele que essas melhorias não podem ser condicionadas à transposição, já que são obrigações do Estado, e que somos contrários à obra", afirma Maria José. As intervenções para a construção das barragens ainda não foram iniciadas no local. A manifestação ocorre duas semanas depois de índios da tribo Truká invadirem, na outra margem do São Francisco, a área onde foram iniciadas as obras de transposição, na zona rural de Cabrobó (PE). O local foi abandonado pelos trukás na última quinta-feira e as obras foram reiniciadas no fim de semana. Segundo o comando local, cerca de 90 integrantes do Exército trabalham no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.