Índios ignoram Justiça e ficam em área ocupada no MS

Os 500 índios terenas que estão ocupando onze fazendas no município de Sidrolândia, a 140 quilômetros de Campo Grande, ignoraram nesta quinta-feira a decisão do juiz da 3ª Vara da Justiça Federal, Odilon de Oliveira, que ordenou ontem que eles deixassem as áreas. O magistrado manteve reunião hoje com caciques e fazendeiros na sede da Justiça Federal, em Campo Grande, mas não houve acordo. Odilon foi até o local do conflito, onde também não teve sucesso. Ele chegou a prometer aos índios em troca da desocupação, pressa no julgamento de 108 ações que questionam estudo para ampliar a área da reserva indígena Buriti. Segundo o magistrado, as perícias técnicas feitas nas fazendas que estariam dentro do território dos índios também serão refeitas.Os caciques disseram não acreditar na promessa do juiz, afirmando que a briga em defesa do território indígena existe há pelo menos seis décadas. Quatro caciques representaram os 540 índios que estão ocupando as fazendas invadidas. Eles afirmaram que não poderiam decidir sobre a saída da área, sem um consenso dos índios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.