Índios fazem reféns seis funcionários da Funasa no litoral de SP

Servidores foram impedidos de sair do local por volta das 9 horas, quando se preparavam para ir embora

Simone Menocchi, de O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2008 | 18h49

Seis funcionários da Fundação Nacional de Saúde ( Funasa) estão sendo mantidos reféns por um grupo de índios da Aldeia Renascer, em Ubatuba, no Litoral Norte Paulista. Os índios reclamam da falta de condições de saneamento básico e decidiram manter os funcionários presos dentro da aldeia para pressionar o governo federal a realizar as obras, que estão sendo reivindicadas há quatro anos.  Os servidores - quatro do Rio de Janeiro e um de São Paulo - foram impedidos de sair do local por volta das 9 horas, quando se preparavam para ir embora. "Foi a forma que arrumamos para pressionar o governo. Não dá mais para aceitar essa situação. Crianças e adultos ficam doentes porque não há água tratada", disse o vice-cacique, Awa Aridju.

Tudo o que sabemos sobre:
Funasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.