Indíos e arrozeiros assistem julgamento pela TV na Raposa

Índios e arrozeiros acompanharam julgamento no STF que decide demarcação da reserva indígena em Roraima

Roldão Arruda, enviado especial de O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2008 | 14h56

Na região de Surumu (ou Comunidade do Barro), vilarejo situado na entrada da Raposa Serra do Sol, em Roraima, e próximo às áreas controladas por arrozeiros, os índios favoráveis à demarcação em área contínua da reserva reuniram cerca de 500 pessoas para acompanhar a votação no Supremo Tribunal Federal pela TV. A expectativa, tanto entre os índios e os não-índios,  é grande. A Polícia Federal e a Força Nacional de Segurança aumentaram seus efetivos na Vila e em toda a região existe um contingente de aproximadamente 300 homens para garantir a segurança.   Veja também:A FAVOR: STF deve garantir direito dos índios, afirma CimiCONTRA: Demarcação não é simples litígio de terras, diz governadorAcompanhe o julgamento sobre a demarcação da Raposa Serra do Sol Especial sobre a disputa de terras indígenas  Entenda a sessão e relembre recentes decisões    Os índios favoráveis à demarcação em área continua, que são maioria, realizaram manifestações culturais, danças e cantos, reafirmando suas tradições desde às 7 horas da manhã.  Os grupos contrários à demarcação em área continua e os não-índíos se reuniram em frente à sede distrital da Prefeitura de Pacaraima, cujo o prefeito é o arrozeiro João Paulo Quartiero. Foi instalada uma televisão para que eles pudessem acompanhar o debate e as manifestações no STF.  Eles acompanham o julgamento e reagem com xingamentos quando não concordam com algum argumento e aplaudem, dependendo da defesa.

Tudo o que sabemos sobre:
Raposa Serra do Sol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.