Sérgio Dutti/AE
Sérgio Dutti/AE

Índios da Raposa aguardam decisão com cantos e danças típicas

Julgamento no STF foi suspenso e retorna às 14 horas; indígenas se preparam para comemorar com churrasco

Agência Brasil,

18 de março de 2009 | 13h48

Sem televisão, rádio ou telefone para acompanhar o julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a constitucionalidade da demarcação contínua da Terra Indígena Raposa Serra do Sol, índios que vivem na reserva começaram o dia com cantos e danças típicas. A sessão foi suspensa para o almoço, e será retomada às 14 horas. O ministro Marco Aurélio Mello ainda não concluiu o seu voto, mas, pela leitura feita até o momento, ele já se posicionou contrário à demarcação contínua.

  

Com músicas tradicionais da etnia Macuxi, majoritária na reserva, os indígenas homenagearam a natureza, e fizeram amostras de artesanato tradicional da região, como peneiras, vassouras e outros utensílios de palha. Cerca de 200 indígenas participaram da mobilização, número muito abaixo da expectativa do Conselho Indígena de Roraima (CIR), que previa a participação de 3 mil pessoas. De acordo com o líder Martinho Macuxi, a entidade não conseguiu providenciar transporte para levar mais índios até a reserva.

 

Veja Também:

video Assista aos votos dos ministros

mais imagens Galeria de fotos da sessão no STF

blog Blog: acompanhe ao vivo o julgamento

forumVocê é contra ou a favor da demarcação contínua?

especialA disputa pela Raposa Serra do Sol 

especialEntenda a sessão do STF e veja como votaram os ministros em outras questões 

documentoLeia a íntegra do voto do relator, a favor da demarcação contínua 

linkPF já tem plano para retirada de arrozeiros da Raposa

linkArrozeiros ainda veem possibilidade de permanência na Raposa

 

A expectativa entre os indígenas é que o STF mantenha o entendimento já declarado por oito dos 11 ministros da Corte em dezembro, favorável à demarcação contínua da área e pela retirada dos grandes produtores de arroz. "Temos 35 anos de luta. Conseguimos que limitassem, demarcassem e homologassem a terra. Acreditamos que tudo isso deva ser confirmado como está", afirmou Martinho Macuxi, que espera receber informações sobre o julgamento de indígenas que acompanham a sessão no STF em Brasília, por meio de um dois telefones públicos instalados na área.

 

Caso o STF mantenha a demarcação contínua da Raposa, a comemoração na reserva começará ainda nesta quarta-feira. "Vamos fazer até um churrasco", disse o líder macuxi.

Tudo o que sabemos sobre:
Raposa Serra do SolSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.