Índios cobram terra e dinheiro do Fome Zero

Mais de mil índios guarani-kaiowás das aldeias Bororó, Jaguapiru e Tey Kuê localizadas no sul de Mato Grosso do Sul, realizaram nesta quarta-feira em Dourados um protesto que durou sete horas. Segundo o chefe da Funai, Jonas Rosa, os manifestantes representam pelo menos 10 mil índios que estão cansados de esperar os recursos do programa Fome Zero. "O dinheiro já está com o governo do estado. Não sabemos porque ainda não foi liberado para as tribos", disse Jonas.O protesto começou na rodovia MS-156, a 6 quilômetros do centro de Dourados, de onde saíram marchando até a prefeitura, onde ficaram concentrados e entregaram documentos pedindo a liberação dos recursos. Em seguida foram até a sede da Funai denunciar o aumento de índios sem-terra e as más condições de vida nas aldeias. Segundo a secretária de Ação Social, Cidadania e Economia do Trabalho, Heloísa Castro Berro, o dinheiro do Fome Zero deverá ser liberado a partir do próximo dia 15. Ela culpou a burocracia pela demora. Ela informou ainda que o programa segurança alimentar do Estado fornece cestas básicas para 11.300 famílias indígenas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.