Índios ameaçam matar 356 invasores no Pará

Os índios das tribos tembé, timbira, urubu-kaapor e guajá, da reserva indígena Alto Rio Guamá, localizada entre os municípios de Paragominas, Santa Luzia do Pará e Nova Esperança do Piriá, na fronteira do Pará com o Maranhão, estão na iminência de um confronto armado com 356invasores de suas terras.O clima é muito tenso na área, porque os invasores se negam a sair, apesar de játerem recebido as indenizações pagas pela Fundação Nacional do Índio (Funai) porbenfeitorias que fizeram, além de há mais de dois anos terem prometido desocupar olocal.Os índios já avisaram: vão matar os invasores se eles não saírem. O Ministério PúblicoFederal está preocupado com a possibilidade de confronto e quer o assentamento dasfamílias invasoras da reserva em áreas do Incra localizadas na região.No dia 8 de janeiro passado, o juiz da 1ª Vara Federal de Belém, Gláucio FerrreiraMaciel Gonçalves, deferiu pedido de antecipação dos efeitos da tutela, feito pelo procurador da República Felício Pontes Júnior, emitindo as quatro tribos na totalidade da posse das terras.Para a retirada dos invasores e cumprimento da decisão judicial, porém, a Polícia Federal terá de solicitar o apoio das Polícias Militar e Civil. O Ibama e o Incra também devem participar da operação."Com o recebimento das indenizações, ocorrido nos anos de 2000 e 2001, restou caracterizado, desde então, a posse injusta. Esta condição irregular dos réus, já beneficiados pelo recebimento de numerário em dinheiro, não pode prosperar", afirma o juiz na sentença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.