Índio de nove meses morre de desnutrição em MS

A desnutrição continua matando crianças índias na Reserva Indígena de Dourados, no Mato Grosso do Sul, a 220 quilômetros de Campo Grande, na região sul do Estado. Na quinta-feira, morreu um menino com 9 meses de idade que estava internado há duas semanas no Hospital da Mulher. Nesta tarde, os médicos confirmaram que o menor estava com alto grau de anemia devido ao adiantado estado de desnutrição. É o primeiro caso comprovado deste ano.Mas a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) distribuiu nota nesta quinta-feira negando que a morte do bebê tenha sido causada por desnutrição. Segundo o médico Zelik Trajber, da fundação, o falecimento ocorreu por motivo de "gastroenterite e infecção generalizada".Entretanto, o Atestado de Óbito número 8192973, expedido pelo Hospital da Mulher, onde o menor ficou internado durante sete dias consecutivos, afirma que a criança foi vítima de "septicemia e gastroenterite em decorrência de desnutrição".O menor era da Aldeia Bororó, onde juntamente com a aldeia vizinha, a Jagurapirú, residem a maioria das famílias mais pobres da reserva. Desde 2004, quando foram identificadas 23 mortes de crianças subnutridas, a Funasa desenvolve vários programas, para reduzir a mortalidade do gênero. Em 2005 aconteceram 16 óbitos e em 2006 outros 11, todos devido à fome e a má alimentação dos menores, conforme constatação da própria Funasa.Este texto foi ampliado às 18h14

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.