Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Índio da Costa vota e diz que pesquisas estão erradas

Em resposta às críticas de Lula, o candidato à vice-presidência afirmou que Lula 'sai do tamanho de um Playmobil' da eleição

Álvaro Campos, da Agência Estado, e Pedro Dantas, de O Estado de S.Paulo,

31 de outubro de 2010 | 09h13

O candidato a vice-presidente Índio da Costa (DEM), que compõe a chapa do candidato José Serra (PSDB) à Presidência, votou esta manhã na 35ª seção da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), na Gávea, zona sul da cidade. Segundo ele, as pesquisas "estão totalmente erradas". De acordo com o deputado federal, o vencedor do pleito de hoje deve ganhar por uma pequena diferença de votos. Ao ser questionado sobre qual foi seu maior aprendizado nesta eleição, Indio disse que foi descobrir que "o PT é capaz de coisas inacreditáveis".

 

"Tivemos toda essa loucura de cerceamento de imprensa e da liberdade de culto, além da liberação do aborto a qualquer tempo, conforme previa o Plano Nacional de Direitos Humanos 3 (PNDH3). Mas tenho certeza de que o povo brasileiro dará sua resposta nas urnas. A maior vencedora de hoje é a democracia", disse Índio.

 

Em São Paulo, Índio da Costa disse à Agência Estado que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva "sai do tamanho de um Playmobil", da eleição. A afirmação de Indio, comparando Lula ao pequeno boneco de plástico, foi uma resposta às críticas feitas pelo petista que, ao votar em São Bernardo do Campo (SP), disse que Serra saía "menor da campanha".

 

Índio chegou atrasado no Colégio Santa Cruz e perdeu a votação de Serra. O parlamentar afirmou que veio em um voo comercial do Rio para São Paulo e demonstrou otimismo porque "muitos paulistas estavam voltando (do Rio) para votar", afirmou. O candidato afirmou ainda ter certeza que resultado da eleição será apertado e questionou os dados das pesquisas, que apontam a vitória de Dilma Rousseff (PT). "Acredito nas pesquisas que a gente fez, que são pelo sistema de probabilidade; o cálculo por cotas que os outros institutos fazem não funciona", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.