Índice de satisfação do cidadão fica estável, diz Sensus

O Índice de Satisfação do Cidadão (ISC) medido pela pesquisa CNT/Sensus, divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), apresentou estabilidade, passando de 51,25 em maio para 51,21 em julho. Embora a avaliação positiva do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que faz parte do índice, tenha caído de 51,6% para 46,3%, a dos governadores e prefeitos manteve-se estável, passando, respectivamente, de 44,3% para 45,7% e de 40,6% para 38,5%, no mesmo período de comparação. A pesquisa apontou também estabilidade nas avaliações econômicas, como renda e emprego, e na predisposição de compra de bens duráveis. Também continuou estável a avaliação de itens sociais, como saúde, educação, pobreza e violência. Em relação às expectativas sociais, verificou-se pequena mudança na perspectiva de melhora dos índices de pobreza (de 37,7% em maio para 41,9% em julho) e na melhoria do problema da violência (de 26,7% para 31,6%). A pesquisa mostrou ainda que 40,9% dos entrevistados avaliam que os preços subiram, neste ano, e que continuarão subindo. Mas 49,6% acreditam que eles ou vão subir menos ou parar de subir. Um grupo de 1,8% não sentiu a inflação e outro, de 2,9%, viu queda nos preços neste ano. Os entrevistados deram ainda a melhor avaliação para a educação, entre quatro setores do governo federal pesquisados, com nota de 5,8. Na seqüência vieram saúde, com nota 5,2; estradas, com 3,9 e segurança, com 3,6.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.