Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Índia será sede do Fórum Social em 2004

Porto Alegre não terá o Fórum Social Mundial em 2004, mas voltará a sediar o evento em 2005. A decisão foi tomada nesta quarta-feira pelo Conselho Internacional do movimento que organiza o encontro anual de entidades da sociedade civil que se contropõem à globalização. No ano que vem será promovido um fórum internacional na Índia, possivelmente na cidade de Hyderabad, mas seu caráter - se mundial ou regional - ainda não foi definido. Em janeiro de 2004, o movimento de Porto Alegre vai promover, como resposta ao Fórum da Davos, uma marcha mundial pela paz e contra a globalização neoliberal no maior número de cidades possível.As mudanças expõem o problema do gigantismo do Fórum Social Mundial, que chegou ao ponto de ter mais participantes do que a capacidade das cidades de abrigá-los. Também revelam dificuldades econômicas que delegações de países pobres ou muito distantes têm para viajar ao Brasil todos os anos e que entidades que apóiam o evento, como organizações não governamentais francesas, alemãs e norte-americanas, têm para patrocinar o deslocamento de tanta gente.Quando voltar a Porto Alegre, em 2005, o Fórum Social Mundial poderá ter características diferentes ou, pelo menos, estar reduzido. O Comitê Internacional está dividido entre as correntes que querem manter a abertura à maior participação possível e as que defendem uma limitação ao número de oficinas, que chegaram a 1.714 neste ano. "Pensamos em estabelecer um equilíbrio para que Porto Alegre não seja um êxito somente de participação, mas também de debates aprofundados", revela Roberto Sávio, um dos coordenadores do Comitê Internacional, que defende menos debates e mais propostas concretas para mudar o mundo. O novo formato será discutido em reunião do Comitê Internacionel em junho deste ano.O Comitê também estuda mudanças na própria estrutura. A secretaria executiva do Fórum, composta exclusivamente pelos integrantes do comitê brasileiro, deve ganhar alguns novos membros, de outros países, a partir da reunião de junho, dentro da perspectiva de internacionalizar a ação."O Fórum da Índia será maior que um fórum regional e menor que um mundial" adianta Sávio. O evento pode discutir as grandes teses mundiais contra o neoliberalismo ou voltar-se para a solidariedade aos povos africanos e asiáticos. Mas não será o único encontro do movimento de Porto Alegre em 2004. Diversos outros fóruns continentais podem ser organizados no ano que vemVeja o especial sobre os Fóruns de Davos e Porto Alegre

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.