Índia de 2 anos morre de subnutrição em MS

Caso ocorre um dia após presidente Lula dizer, em Campo Grande, que mortalidade de tribo guarani caiu 82%

João Naves, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2002 | 00h00

Morreu ontem mais uma criança indígena vítima de subnutrição na Reserva Indígena de Dourados, a 220 quilômetros de Campo Grande. Apesar de ter sido socorrida no Hospital Universitário de Dourados, Francieli de Souza, de 2 anos, não suportou os efeitos da doença. Segundo os caciques das aldeias Bororó e Jaguapiru, é a oitava vítima neste ano, embora não haja confirmação da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).A morte ocorreu um dia depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em viagem a Campo Grande, ter cobrado da imprensa não apenas denúncias, mas destaque para a redução de 82% na taxa de mortalidade de crianças guaranis.De acordo com um dos coordenadores da fundação na cidade de Dourados, o médico Zelik Trabjer, a desnutrição não é a única causa das mortes de crianças nas tribos. Cláber Cardoso, de 8 anos, por exemplo, tinha paralisia cerebral.O médico não nega, porém, o quadro de subnutrição em todas as crianças indígenas internadas nos hospitais de Dourados, provenientes das aldeias Bororó e Jaguapiru. Não raras vezes, os pais são surpreendidos com os falecimentos dos filhos, como aconteceu ontem com Claudinéia de Souza, de 25 anos, mãe de Francieli. Abalada, ela contou que internou a filha há duas semanas e teve um choque com a notícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.