Indefinição sobre futuro titular da Saúde agrada bancada do PMDB

Anúncio precipitado fez com que Côrtes 'provavelmente tenha dormido ministro e acordado sem pasta', disse deputado

Denise Madueño e Eugênia Lopes, da Agência Estado,

01 Dezembro 2010 | 18h49

BRASÍLIA - A bancada do PMDB na Câmara, reunida nesta quarta-feira, 1º, deu uma demonstração de irrestrito apoio ao vice-presidente eleito, Michel Temer, como negociador do partido na composição do governo da futura presidente, Dilma Rousseff. Os parlamentares não reconhecem o secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes, como representante da bancada no primeiro escalão e comemoraram o fato de Dilma ter negado a escolha para o Ministério da Saúde.

  Veja Também

linkDilma desmente Cabral e diz que ainda não escolheu ministro da Saúde

 

"O anúncio precipitado do secretário de Saúde do Rio fez com que ele provavelmente tenha dormido ministro e acordado sem essa pasta", disse o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). A divulgação do nome de Côrtes pelo governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), provocou reação no partido. Os parlamentares não aceitaram o fato de Cabral passar por cima de Temer e negociar a indicação diretamente com Dilma. Além disso, reivindicavam outro ministério para emplacar um nome escolhido pela bancada, considerando Côrtes como cota pessoal de Cabral.

Na tarde desta quarta, Dilma disse em reunião com médicos e especialistas do setor de saúde que ainda não definiu quem será o ministro da Saúde de seu governo. A declaração ocorreu durante um seminário sobre saúde promovido pelo governo de transição no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília. Côrtes não participava do evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.